segunda-feira, 27 de junho de 2011

domingo, 26 de junho de 2011

PRÁTICA LEITORA MULTIMIDIAL

TEMA GERADOR: Hábito da Leitura
n      Outras linguagens para fundamentar a importância da leitura além da trazida por revistas , como é o exemplo da Revista Veja de 18 de maio de 2011, seria trabalhar com vídeos (DVDs) , youtubes ou mesmo publicidades.
       Os fatores que condicionam a leitura são os mais variados: a presença de livros em  casa; familiares com habito da leitura;  iniciação de leitura na escola. De qualquer modo parte-se do pressuposto de que a leitura se dá ainda no berço quando a mãe conta histórias de ninar para os filhos...

quarta-feira, 22 de junho de 2011



Viajar pela leitura

sem rumo, sem intenção.

Só para viver a aventura

que é ter um livro nas mãos.

É uma pena que só saiba disso

quem gosta de ler.

Experimente!

Assim sem compromisso,

você vai me entender.

Mergulhe de cabeça,

na imaginação!



Clarice Pacheco

sexta-feira, 10 de junho de 2011

domingo, 29 de maio de 2011

Pintura de Renoir e poema

   Auguste Renoir: foi o pintor impressionista que ganhou maior popularidade e chegou mesmo a ter o reconhecimento da crítica, ainda em vida. Seus quadros manifestam otimismo, alegria e a intensa movimentação da vida parisiense do fim do século XIX. Pintou o corpo feminino com formas puras e isentas de erotismo e sensualidade, preferia os nus ao ar livre, as composições com personagens do cotidiano, os retratos e as naturezas mortas.  Referências :
http://www.historiadaarte.com.br/impressionismo.html


                                                                    
MULHER, MÃE
Mãe, mulher, figura humana
fonte de amor e ternura
com sua meiguice está sempre atenta
cuidando de sua criação mais preciosa
Mulher, como a lua espalha luz
iluminando os caminhos e enchendo de beleza
a vida dos filhos e da natureza.
Mãe, mulher, figura humana
fonte de amor, ternura e garra
com sua meiguice está sempre atenta
cuidando e zelando de sua criação mais preciosa
Mulher, como a lua espalha luz
iluminando os caminhos e enchendo de brilho e beleza
a vida dos filhos e da natureza.
Fonte de amor e ternura que a cada momento tenta ser a
companheira, a amiga, a "rainha do lar", "a leoa que defende";
Mulher quão simples e delicada como as flores;
mas "profunda" como a água do oceano.
Tem o encanto das fadas e a luz das estrelas
És a luz que não fere os olhos
Mas que pacifica o olhar
como a fresca brisa matinal.
Mulher cheia de encantos em ti encontro paz e descanso
És remédio para minhas angustias
És sorriso que espanta a tristeza
És calor, afeto, esperança, suavidade e carinho.
És um misto de emoções e angústias
de sorrisos e lágrimas
doçura e fervor
paixão e tesão
loucura e (in) sensatez
de todo modo és assim:
mulher, mulher...

o Poema foi criado pelo grupo.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

A Cartomante

Presságio

De uma pequena cidade, com aproximadamente 20 mil habitantes, mais propriamente Tapejara, a população vivia tranqüila, cada um envolvido com sua vida,  seus estudos, seus afazeres, a maioria dos habitantes pensavam em trabalhar, estudar e progredir, para poderem ser melhores a cada dia.
Em meio a todas essas pessoas havia uma jovem muito bela chamada Joana, que não fugia a regra até que um dia, em que passou por ela, na rua uma cigana e sem perceber, pegou sua mão e, segurando firme, leu os traços que aí tinha e pressentiu que a partir daquele momento, ela teria dias difíceis em sua vida e nunca mais conseguiria encontrar um amor em sua vida se não desse todo o dinheiro que possuía no momento.
Afirmando a cigana que se não desse todo o dinheiro, tudo de ruim iria acontecer em sua vida, sendo infeliz a partir daquele momento. Caso contrário, ela seria a pessoa mais feliz e amada do mundo. A jovem Joana tentou explicar que não podia dar todo o dinheiro de seu salário do mês porque precisava pagar a Faculdade e demais despesas pessoais. Diante da afirmação da moça que não entregaria seu dinheiro, muito depressa, a cigana arrancou um fio de cabelo, repetindo que a partir daquele momento, seria infeliz.
Dias depois, pensando no ocorrido, resolveu ir onde era o paradeiro dos ciganos para desfazer a causa de tanta preocupação. De longo, observou cuidadosamente o barraco dos ciganos, e reconheceu a cigana que havia feito a maldição. Quando todos os ciganos saíram para vender seus produtos, cuidadosamente Joana entrou no barraco onde observara estar a cigana para procurar do fio de cabelo. Após abrir caixas e baús, encontrou o fio de cabelo e reconheceu como sendo semelhante aos seus olhando-se num pequeno espelho.
Retornou feliz para sua cidade natal, e por incrível que pareça, a partir daquele dia, sua vida começou a mudar, conheceu uma pessoa muito especial, percebendo que seria o grande amor de sua vida. O que Joana não percebeu é que a cigana havia jogado o cabelo arrancado da sua cabeça, na lixeira, minutos depois de arrancá-lo.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

A Poesia é uma forma divertida de brincar com as palavras

Poesia é a expressão de sentimentos e emoções de um poeta em relação àquilo que o rodeia ou está presente no seu imaginário, revelada numa forma escrita. Esta arte de brincar com as palavras encantam as crianças e também aos adultos.
O incentivo à leitura começa com a gestante, tem continuidade na infância, unindo os laços afetivos entre pais e filhos, construídos nessa experiência de leitura, que auxiliam no desenvolvimento intelectual, emocional e social da criança. Ao ingressar na Escola é importante continuar a leitura de poesias e atualmente existe um número significativo de publicações de bons autores e suas extraordinárias poesias para serem lidas, trabalhadas e cantadas em sala de aula.

Resumo do texto do grupo, postado na semana.

domingo, 1 de maio de 2011

Elementos de Linguística

Aquele dia foi muito engraçado e ao mesmo tempo curioso. A linguagem é mesmo muito interessante e nos faz pensar. Certa vez, em uma repartição pública eu esperava por atendimento quando chegou um senhor e também ficou esperando por atendimento. Algo normal nas repartições. Ficamos muito tempo sentados perto e logo começamos a conversar aquele tipo de assunto que começa com....será que vai chover?! e depois prossegue com frases e histórias inesperadas...
Ele se apresentou com o nome Josivaldo. Pelo nome e pelo tipo físico já desconfiei que não era aqui no RS, mas deixei o homem prosseguir, então ele disse que era de Pernambuco, Recife. Bem que eu imaginava. Logo em seguida começamos a dialogar e aí assim foi o maior problema ou a maior aula de regionalismos para mim, para ele e para quem estava por perto.
Eu estava com pressa para ser atendida e por isso queria apressar todo mundo inclusive o senhor que me fazia companhia, porém ele falava muito devagar e parecia que nunca terminaria de contar suas historias. Foi então que o menino ao meu lado, escutando a conversa disse:
- esse senhor é lesado!
O homem ouviu e retrucou:
- não, nunca lesei ninguém, meu jovem!
O jovem explicou: eu sei, só queria dizer que o senhor é lento, fala lentamente. Então, vou lhe arremedar.
- Vou o que, disse o senhor?
-Arremedar, imitar, respondeu o jovem.
- Ah, sim, entendi.
Em seguida, o senhor olha para mim e diz:
- Vamos nos acochar para eu conseguir falar melhor com o moço.
Eu respondi: vamos o que, aco ....?
-Acochar quer dizer apertar para ficarmos mais juntos.
- Mas eu prefiro ficar mais apartado, respondi.
- O que, diz o homem?
- Apartado é separado, respondi.
- Fique sabendo brotinho, respondeu o homem, que eu também estou avexado e se eu bater a caçuleta aqui vocês irão ficar com remorso por não me deixar passar na frente da fila. E neste escritório do RS tudo parece um balaio de gato, mas é com corrida de ganso.
- Eu já não entendi mais nada e como o escritório fornecia umas guias para transporte animal achei que ele falava a respeito de animais. Então, perguntei o que é balaio de gato e corrida de ganso?
- Ele disse: desorganização, algo que não vale a pena esperar.
E continuou com um vocabulário que achei até que ira precisar de um tradutor.
- Isso aqui está custando muito, eu já estou derrubado e quando sair daqui vou descatitar!
Como eu e o moço não estávamos mais entendo nada ele logo traduziu:
- Custando é demorando, derrubado é sem ânimo e descatitar é sair correndo, acelerar.
- E o senhor vai conseguir correr com esta alpercata e arrastar a asa para alguém lá fora? Estávamos falando da sandália de dedo que ele usava nos pés e se ele conseguiria enamorar-se por alguém aqui no Estado. Mas ele não entendeu também e retrucou:
- Eu não estou apertado e também quem arrasta a asa é meu papagaio e não eu!
- Chega de chorar as pitangas índio velho, falou o jovem.
- Vocês estão loucos, quem é que chora por causa de frutas e mais eu não índio e nem velho?
- Não, o senhor não entendeu. Chorar as pitangas quer dizer lamuriar-se e índio velho é o mesmo que dizer camarada. Ninguém quis lhe ofender.
A fila andou e graças a Deus chegou a minha vez de ser atendida, assim a conversa terminou e eu disse vou aproveitar e ir correndo para voltar ao meu trabalho pois estou matando cachorro a grito.
- O senhor olhou para o moço e coube ao jovem explicar o que é matar cachorro a grito.

sábado, 16 de abril de 2011

http://youtu.be/WyOJ-A5iv5I

Gracias A La Vida
Gracias a la vida que me ha dado tanto
Me dio dos luceros que cuando los abro
Perfecto distingo lo negro del blanco
Y en el alto cielo su fondo estrellado
Y en las multitudes el hombre que yo amo

Gracias a la vida que me ha dado tanto
Me ha dado el oído que en todo su ancho
Graba noche y día grillos y canarios
Martirios, turbinas, ladridos, chubascos
Y la voz tan tierna de mi bien amado

Gracias a la vida que me ha dado tanto
Me ha dado el sonido y el abecedario
Con él, las palabras que pienso y declaro
Madre, amigo, hermano
Y luz alumbrando la ruta del alma del que estoy amando

Gracias a la vida que me ha dado tanto
Me ha dado la marcha de mis pies cansados
Con ellos anduve ciudades y charcos
Playas y desiertos, montañas y llanos
Y la casa tuya, tu calle y tu patio

Gracias a la vida que me ha dado tanto
Me dio el corazón que agita su marco
Cuando miro el fruto del cerebro humano
Cuando miro el bueno tan lejos del malo
Cuando miro el fondo de tus ojos claros

Gracias a la vida que me ha dado tanto
Me ha dado la risa y me ha dado el llanto
Así yo distingo dicha de quebranto
Los dos materiales que forman mi canto
Y el canto de ustedes que es el mismo canto
Y el canto de todos que es mi propio canto

Gracias a la vida, gracias a la vida
Graças À Vida
Graças à vida que me deu tanto
Me deu dois olhos que quando os abro
Distinguo perfeitamente o preto do branco
E no alto céu seu fundo estrelado
E nas multidões o homem que eu amo

Graças à vida que me deu tanto
Me deu o ouvido que em todo seu comprimento
Grava noite e dia grilos e canários
Martírios, turbinas, latidos, aguaceiros
E a voz tão terna de meu bem amado

Graças à vida que me deu tanto
Me deu o som e o abecedário
Com ele, as palavras que penso e declaro
Mãe, amigo, irmão
E luz iluminando a rota da alma do que estou amando

Graças à vida que me deu tanto
Me deu a marcha de meus pés cansados
Com eles andei cidades e charcos
Praias e desertos, montanhas e planícies
E a casa sua, sua rua e seu pátio

Graças à vida que me deu tanto
Me deu o coração que agita seu marco
Quando olho o fruto do cérebro humano
Quando olho o bom tão longe do mal
Quando olho o fundo de seus olhos claros

Graças à vida que me deu tanto
Me deu o riso e me deu o pranto
Assim eu distinguo fortuna de quebranto
Os dois materiais que formam meu canto
E o canto de vocês que é o mesmo canto
E o canto de todos que é meu próprio canto

Graças à vida, graças à vida

Graças à vida, graças à vida

Mercedes Sosa é uma cantora Argentina e conhecida em muitos países por sua música e sua voz marcante. "Gracias a la vida" é algo tão belo de se ouvir.
Escolhemos a referida música porque a maioria dos componentes deste grupo
tem interesse em aprender e conhecer a Língua Espanhola e, atualmente, é obrigatório nas Escolas de Ensino Médio, oferecer esta disciplina no Currículo Escolar.